Odores e moscas na suinocultura? (Parte 1)

0810Prancheta 1 - Embio

Quando pensamos em suinocultura, é difícil não associar esta atividade aos odores e vetores associados a ela. Este tema impacta diretamente o homem do campo, mas em alguns casos, também interfere na vida dos vizinhos da cidade. 

A cidade se aproxima cada vez mais do campo, e a proximidade gera complicações quando o assunto é a poluição, o cheiro e as moscas. 

Uma pergunta interessante de se fazer é: de onde eles vêm? E por que os chiqueiros têm tantos odores e moscas? 

O cheiro forte dentro dos chiqueiros vem dos dejetos que ficam acumulados embaixo e/ou no assoalho. Estes dejetos são, principalmente, as fezes e urina dos suínos, as quais possuem compostos voláteis que são liberados e ficam retidos dentro das instalações.

Algumas pesquisas apontam que existem mais de 200 compostos que são responsáveis pelo mau cheiro.  Além disso, o processo de decomposição anaeróbio, que se inicia já dentro dos chiqueiros, gera subprodutos que causam maus odores, como é o caso, principalmente, da amônia e dos compostos de enxofre (sulfeto de hidrogênio). Outros gases também são gerados neste processo como é o caso do dióxido de carbono, do óxido nitroso e o metano, que mesmo não gerando odores consideráveis, causam diversos problemas ao homem e aos animais. 

É importante salientar que estes odores não permanecem apenas dentro das instalações, eles estão presentes também nas esterqueiras e no momento de aplicação do dejeto no solo (fertirrigação). 

A presença das moscas está associada ao material orgânico dos dejetos, porque elas agem como decompositoras destes resíduos. A presença delas mostra que os dejetos que estão no ambiente, não estão tendo os cuidados adequados.

O grande problema da proliferação das moscas é que elas podem carregar agentes causadores de doenças, além de gerarem estresse em pessoas e animais. 

Mais para frente, falaremos aqui no blog sobre as alternativas para diminuir os odores e moscas, melhorando a qualidade de vida no campo.

Redator(a): Patricia Schumacher
Editor(a): Caio Frederico Ferro