Odores e moscas na suinocultura? (Parte 2) Quais as alternativas?

2610Prancheta 1 - Embio

No artigo anterior vimos como os odores e as moscas atrapalham o dia – a – dia no campo, e a pergunta que fica é: existem alternativas para reduzir esses odores e moscas? Quais são? A resposta é: sim, existem diferentes alternativas de tratamento. Antes de falar sobre elas, é fundamental lembrar que os odores e as moscas estão presentes nos diferentes ambientes, dentro e fora dos chiqueiros.

O ideal é que o tratamento seja iniciado nas baias e continue até o momento da fertirrigação, com a finalidade de proporcionar a qualidade de vida em toda a propriedade. Vamos falar sobre algumas das alternativas de tratamento: 

DENTRO DAS BAIAS

Uma solução simples para este problema seria eliminar a fonte que gera os odores, fazendo a remoção dos dejetos dos chiqueiros, mantendo as superfícies sempre secas e limpas. Mas nem sempre isso é possível, por isso, uma das alternativas está na dieta dos animais. Trabalhos de pesquisa de diferentes países mostram que melhorando a dieta, os odores são minimizados, pois alteram as características dos dejetos.

Além disso, existem também moléculas que têm ação comprovada de neutralização de odores de dejetos suínos (Neutralizador de Odores Embio® 7000). Elas são produzidas pela extração de essências de plantas e a ação delas neutraliza o cheiro forte. As enzimas e microrganismos também ajudam muito no tratamento dentro dos chiqueiros. Eles transformam os compostos orgânicos em moléculas simples e estáveis, evitando a formação de gases com forte odor.

Também podem ser implantados sistemas físicos de ventilação e biofiltros, que são fortes aliados na redução dos maus odores. 

SISTEMAS DE ARMAZENAMENTO: 

Existem diferentes formas de tratar os dejetos que ficam armazenados nas esterqueiras. Deixar os dejetos parados e sem tratamento é uma opção que gera muitos problemas e afeta a qualidade de vida. Portanto, uma maneira economicamente viável para tratar os dejetos é por meio da aeração intermitente das esterqueiras (Propulsor Embio®). Porque a aeração acelera o processo de decomposição da matéria orgânica, atua no ciclo do nitrogênio, diminui os compostos de amônia e gera um subproduto composto de moléculas simples e estáveis. O processo de aeração, é ainda mais eficaz quando combinado com microrganismos e/ou enzimas (Aditivo Embio® 3000). 

Outra forma é com a instalação de biodigestores. O subproduto líquido que é gerado, tem menos odores do que o dejeto cru. Este sistema depende da eficiência do biodigestor, podendo restar algum material a ser degradado ao final do processo. Por isso, é recomendável realizar o tratamento aeróbico na lagoa, logo após o biodigestor.

As enzimas e os microrganismos, são combinações excelentes para os tratamentos aeróbios e anaeróbios. A função deles é catalisar/acelerar as reações de degradação, ou seja, acelerar o processo de decomposição. Eles também, dependendo da composição, apresentam compostos que atuam no controle de larvas de moscas e outros vetores. 

Além destes, uma outra opção para reduzir os odores dos sistemas de armazenamento abertos, são membranas oleosas compostas de molécula neutralizadora de odores. Este procedimento não trata os dejetos, mas é uma opção para controlar a emissão de odores das esterqueiras.  

Estes métodos citados também podem ser utilizados depois de realizar a separação física das fases sólida e líquida dos dejetos.

Os tratamentos estão cada vez mais conhecidos entre os suinocultores e muita tecnologia está sendo pensada e desenvolvida com esta finalidade. Estamos envolvidos nesta busca por soluções e tecnologias, que atendam às necessidades humanas, econômicas e ambientais, para gerar qualidade de vida e sustentabilidade ao homem do campo.